sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Cientistas desenvolvem ‘língua artificial’ para detectar uísque falso

A revista Superinteressante trouxe uma reportagem que interessa consumidores de uísque. Você sabia que não adianta balançar a garrafa para ver se ela faz espuma ou mesmo jogar o líquido no pão e observar a cor depois? Nenhum desses truques pode garantir se a bebida é verdadeira ou falsa, até porque existem diversos tipos diferentes de falsificações, com vários métodos. Detectar uísque falso é como emagrecer – não tem mágica, só ciência.

Mas, agora, cientistas escoceses deram uma mãozinha para esse trabalho: eles desenvolveram uma “língua artificial” que explora propriedades do ouro e do alumínio para identificar diferenças sutis entre bebidas alcoólicas com 99% de precisão. Os pesquisadores relataram que a língua artificial age de forma semelhante a uma língua humana – como nós, não consegue identificar as substâncias químicas individuais que tornam o sabor do café diferente do suco de maçã, por exemplo. Mas pode facilmente diferenciar um do outro”.

A língua artificial é composta por 2 milhões de “papilas gustativas” será possível estabelecer um padrão de medidas para um tipo específico de uísque e compará-lo detectando se é o mesmo ou não. Essa técnica é tão apurada que é capaz até de averiguar a diferença de idade entre bebidas iguais vindas de safras diferentes.

Infelizmente, os apreciadores da bebida ainda não podem comemorar: os pesquisadores não deixaram claro quando, e se, a língua artificial será comercializada.