quarta-feira, 17 de março de 2021

Governo do RN prepara novo decreto que deve ser publicado ainda nesta quarta-feira

O governo do Rio Grande do Norte se reuniu com prefeitos e empresários, nesta terça-feira (16), para discutir um decreto com novas medidas restritivas para tentar conter o avanço da Covid-19 e a pressão por leitos no estado. A reunião durou 2 horas e meia e  a alteração no horário de vigência do toque de recolher é uma das sugestões apresentadas.

A governadora abriu o diálogo com os prefeitos para ouvir suas sugestões antes de editar o novo decreto. “Sempre foi assim. Escutamos a voz da ciência e escutamos a voz da sociedade. Estamos aqui para colher as sugestões dos municípios, bem como dos diversos segmentos, para trabalharmos na perspectiva de chegar a um posicionamento conjunto. O quadro é muito dramático, não só aqui, mas Brasil afora”, afirmou Fátima.

A perspectiva é de que o documento seja publicado ainda nesta quarta (17), quando acaba a vigência do último decreto emitido pelo governo, que determinou toque de recolher das 20h às 6h nos dias de semana e lockdown aos domingos.

Apesar das medidas já em vigor, a ocupação dos leitos críticos permanece alta no Rio Grande do Norte, acima de 90% e fila de espera com mais de 100 pacientes aguardando por uma UTI. Ao destacar a gravidade do quadro, a secretária adjunta da Saúde, Maura Sobreira, disse que o RN tem mais leitos hoje do que tinha no pico da primeira onda da pandemia, em junho de 2020, mesmo assim a abertura de novas UTIs não consegue atender à demanda.

Em junho do ano passado tínhamos 216 leitos de UTI e hoje temos 350 leitos críticos. Neste momento, temos 120 pacientes aguardando UTIs e as UPAS (unidades de pronto-atendimento) estão lotadas. A velocidade de transmissão da doença é muito maior que a nossa capacidade de instalar novos leitos, daí a necessidade de medidas protetivas para o achatamento da curva”.

O comitê científico também recomendou que os municípios sigam as medidas restritivas do Governo do Estado e não flexibilizem, de maneira individual, suas ações.

Segundo o governo, desde março do ano passado, quando foi decretada calamidade sanitária – e já contando o de agora -, o Governo do RN emitiu 44 decretos normativos para o combate à doença, além de medidas voltadas ao remanejamento de orçamento.