quinta-feira, 14 de março de 2019

Massacre em Escola de Suzano SP, com 10 mortes, choca o país

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Dois ex-alunos da Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Henrique de Castro, de 25, entraram pela porta da frente da escola, que estava aberta, na hora do intervalo das aulas, e atiraram na coordenadora pedagógica, numa outra funcionária e em mais cinco alunos do ensino médio. 

Os assassinos ainda se dirigiram ao centro de línguas, mas os alunos se fecharam na sala com a professora e os autores do ataque acabaram se matando no corredor. 

A polícia acredita que um dos assassinos atirou no outro e depois se matou. 

Os alunos assassinados tinham entre 15 e 17 anos de idade. As duas funcionárias do colégio também morreram. 

Antes de irem à escola para o massacre, os assassinos fizeram outra vítima. Jorge Antonio de Moraes, proprietário de uma loja de carros, e tio de um dos assassinos, levou três tiros – um deles no peito. Ele foi baleado por Guilherme, que era o sobrinho. 

Ainda não se sabe a motivação do crime. A polícia, que chegou à escola oito minutos após o crime, recolheu pertences dos dois assassinos e já iniciou as investigações. 

Dentro do colégio, policiais ainda conseguiram ouvir barulho de tiros, mas já encontraram os dois assassinos mortos. 

A investigação aponta que Guilherme Monteiro matou Henrique Castro e, em seguida, se suicidou. A polícia diz que os dois tinham um "pacto" segundo o qual cometeriam o crime e depois se suicidariam. 

Outros 11 estudantes também foram feridos, alguns deles em estado grave, eles seguem internados em quatro hospitais da cidade.